Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Revisor condena Jefferson por corrupção e absolve por lavagem

O revisor da ação penal do chamado mensalão, ministro Ricardo Lewandowski, condenou nesta quarta-feira o ex-deputado e presidente do PTB, Roberto Jefferson, delator do suposto esquema, pelo crime de corrupção ativa, mas o absolveu da acusação de lavagem de dinheiro.

Reuters

26 de setembro de 2012 | 16h38

Jefferson é acusado de ter recebido 4,5 milhões de reais entre dezembro de 2003 e maio de 2004 para que o PTB aderisse à base aliada do governo. Ele teria sido auxiliado pelo também deputado Romeu Queiroz e por Emerson Palmieri, primeiro-secretário do PTB, que trabalhava como tesoureiro informal do partido.

O relator disse que o recebimento de dinheiro está relacionado ao crime de corrupção passiva, repetindo posição anterior de que o réu não pode responder a dois crimes por uma mesma ilicitude.

Lewandowski disse que Jefferson recebeu elevadas quantias de dinheiro em nome do partido.

"Roberto Jefferson não só assumiu a autoria dos delitos sozinho, sempre, sempre assumiu as responsabilidades por esses fatos isoladamente, excluindo inclusive a participação de Emerson Palmieri e de qualquer outra pessoa e recusou-se a informar o destino dos valores", disse Lewandowski.

Jefferson delatou a existência do suposto esquema em entrevista em 2005. O dinheiro recebido por ele seria parte do valor de 20 milhões de reais que teria sido acertado com o então ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, em troca de apoio do partido, segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF). O relator ainda irá analisar as acusações contra Queiroz e Palmieri.

(Reportagem de Hugo Bachega e Ana Flor)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICALEWANDOWSKIJEFFERSONLEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.