Revisor condena ex-diretor do BB por lavagem de dinheiro

Pizzolato teria recebido R$ 326 mil de Marcos Valério para beneficiar a agência do publicitário em contratos no banco.

Eduardo Bresciani, de O Estado de S. Paulo

22 de agosto de 2012 | 18h50

O ministro revisor do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, votou pela condenação do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato pelo crime de lavagem de dinheiro. Ele teria recebido R$ 326 mil de Marcos Valério para beneficiar a agência do publicitário em contratos no banco. A lavagem ocorreu, segundo o ministro, porque Pizzolato mandou um terceiro sacar os recursos no Banco Rural para que não aparecesse na operação. "Os procedimentos do acusado revelam nítida intenção de dissimular e ocultar o real beneficiário do valor", disse o revisor.

Lewandowski afirmou que o modelo de comunicação feito pelo Banco Rural às autoridades de que os saques eram para pagamentos de fornecedores da agência de Marcos Valério ajudou Pizzolato a ocultar o recebimento dos recursos.

Assim como o relator, Joaquim Barbosa, o ministro Lewandowski votou pela condenação de Pizzolato nos quatro crimes que lhe foram imputados: corrupção passiva, lavagem de dinheiro e dois peculatos.

Ele segue agora analisando a conduta de Marcos Valério. Diferente de Barbosa, o revisor tem feito um voto para cada conduta de cada réu, em vez de analisar cada item de forma conjunta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.