Revisor absolve deputado Pedro Henry de três crimes

O revisor do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, votou pela absolvição do deputado federal Pedro Henry (PP-MT) dos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. O relator, ministro Joaquim Barbosa, votou pela condenação dele nestes casos. A sessão desta quinta foi encerrada e julgamento será retomado na segunda-feira.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

20 de setembro de 2012 | 18h53

Para o ministro, a denúncia do Ministério Público não conseguiu comprovar o recebimento de recursos do esquema por Henry. Ele defendeu a "individualização de condutas" e citou diversos depoimentos em que o pagamento ao PP é apontado como destinado a Pedro Corrêa e José Janene, este último já falecido.

"Em relação a Pedro Henry, as imputações de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha não foram comprovadas pelo Ministério Público, ainda que minimamente", afirmou o revisor.

Lewandowski afirmou que a acusação recaiu sobre Henry apenas por ele ter sido líder do PP na época. "Não se demonstrou nem no curso da instrução criminal nem em qualquer outro momento que o réu teria concorrido para a figura típica da quadrilha, baseou-se apenas na sua função de líder na época dos fatos".

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamentoPedro Henry

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.