Reunião entre Lula e Kirchner termina em tom eleitoral

A reunião de trabalho entre os presidentes Luiz Inácio Lula de Silva e Néstor Kirchner concluiu com uma foto de tom eleitoral. Nas fotos, Kirchner e Lula posam com um caloroso aperto de mãos. A surpresa foi que, em cima do aperto presidencial, estavam as mãos da primeira-dama e senadora Cristina Fernández de Kirchner, que oficialmente não possui função alguma no governo de seu marido. A pose do trio recorda o gesto característico dos três mosqueteiros de "um por todos e todos por um". Além disso, chamou atenção a ausência da esposa do presidente Lula, dona Marisa, que chegou minutos após a foto, a tempo do almoço com o casal Kirchner. A foto, portanto, não foi a dos dois casais presidenciais, mas sim, de Lula com dois potenciais candidatos presidenciais argentinos. Os analistas políticos argentinos logo deduziram que a foto de Lula com o casal Kirchner era uma jogada de tom eleitoral, já que eles ainda não decidiram qual dos dois - marido ou esposa - será o candidato do governo às eleições presidenciais de outubro deste ano. Lula possui há vários anos uma elevada imagem positiva entre os argentinos. Além disso, os analistas consideram que - para Kirchner - posar ao lado de Lula colabora em sua imagem entre os investidores internacionais. Lula é visto como um líder confiável pelos mercados, enquanto que Kirchner, associado muitas vezes com práticas populistas e uma circunstancial simpatia com o polêmico presidente venezuelano Hugo Chávez, é encarado ocasionalmente com temor e suspeitas. A mensagem da foto pode ser interpretada com a seguinte frase: "diga-me com quem você posa e eu te direi quem és".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.