Reunião do PSDB define oposição ao governo Lula

A Executiva Nacional do PSDB está reunida para discutir as divergências internas ocorridas ao longo da campanha e a posição que será adotada em relação ao futuro governo petista. Segundo o líder do PSDB na Câmara, Jutahy Júnior, a proposta da reunião de hoje é unificar a linguagem do partido sobre como será a oposição ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva. "Estou curiosíssimo em saber qual a posição clara do PT em relação ao salário mínimo, a proposta de redução da alíquota do imposto de renda, e ao aumento do salário para o funcionalismo público", afirmou o líder tucano. O PSDB, no entanto, segundo Jutahy Júnior, não deve adotar atitudes meramente de oposição. O líder tucano tentou minimizar as divergências internas no partido, decorrentes de todo o processo eleitoral, desde a escolha de José Serra como candidato à Presidência da República. O ex-governador de Mato Grosso, Dante de Oliveira, não esconde sua satisfação da "nova cara" do partido, que deixa se concentrar apenas em São Paulo. "O PSDB tem uma cara mais nacional ao vencer em Estados como Minas, São Paulo, Pará, Rondônia, Paraíba, Goiás e Ceará", afirmou Dante de Oliveira. "Agora o partido tem um rosto e não se limita a São Paulo", ressaltou. Além de Jutahy Júnior e Dante de Oliveira, participam da reunião da Executiva o presidente do partido, José Aníbal, o governador reeleito de Goiás, Marconi Perillo, o secretário do PSDB, Márcio Fortes, os deputados Alberto Goldman e Pimenta da Veiga e o senador Geraldo Melo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.