Reunião discute envio da Força Nacional para eleições no Rio

Presidente do TRE, do TSE e ministro Tarso devem decidir se pedem ajuda para garantir segurança no Estado

Agência Brasil

30 de julho de 2008 | 16h29

Começou nesta quarta-feira, 30, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reunião entre o presidente da corte, Carlos Ayres Britto, e o ministro da Justiça, Tarso Genro, para decidir a respeito de uma eventual intervenção da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal para garantir a segurança durante as eleições no Rio de Janeiro. Também estão presentes o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), Roberto Wider, e o diretor geral da PF, Luiz Fernando Corrêa.   Veja também: Candidatos reagem a 'currais' do tráfico e milícias no Rio Tarso quer PF para apurar atuação do tráfico em eleição no Rio No Rio, candidata faz campanha com escolta Deputado suspeito de ligação com milícias é preso no Rio Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições    Veja as regras para as eleições municipais   A possibilidade de reforço na estrutura de segurança foi cogitada depois de incidente ocorrido no último fim de semana quando jornalistas que acompanhavam candidatos em campanhas nas favelas foram ameaçados e tiveram equipamentos apreendidos por criminosos e integrantes de milícias. Há também relatos de candidatos que declararam ter sido impedidos pelas milícias de promover atos de campanha em determinadas comunidades.   Na última segunda-feira, o presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, Raul Jungmann, sugeriu ao presidente do TSE a formação de uma força tarefa para atuar nas eleições da capital fluminense. O ministro da Justiça já colocou a Polícia Federal e a Força Nacional de Segurança à disposição da Justiça Eleitoral e do estado do Rio de Janeiro.   Na terçao desembargador Roberto Wider admitiu ter solicitado a ajuda de equipe da PF para a formação de um grupo de trabalho e de uma "atuação de inteligência".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.