Reunião de Temer com Alves e Calheiros é cancelada

O presidente em exercício, Michel Temer, cancelou a reunião que faria nesta quarta-feira, 4, no Palácio do Planalto com os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), para tentar chegar a um acordo sobre a votação das propostas de emenda constitucional sobre o fim do voto secreto. Nesta terça-feira, 3, a Câmara aprovou o voto aberto para todas as votações. Renan defendia a aprovação da proposta de emenda constitucional que já tinha sido aprovada pelo Senado há um ano, acabando com voto secreto apenas para cassação de deputados e senadores, mas o mantendo para as demais votações.

TÂNIA MONTEIRO E RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

04 de setembro de 2013 | 21h13

Renan Calheiros chegou a se reunir nesta quarta com Temer, no Planalto, mas Henrique Eduardo Alves acabou não conseguindo se integrar ao grupo porque estava comandando a votação da MP 615, uma votação de interesse do governo. O próprio Michel Temer pediu a Henrique Alves que tentasse garantir a MP 615, para que ela não perdesse a validade.

A votação da Medida Provisória 615, que agora corre o risco de caducar, colocando em risco o desconto na conta de luz, uma das bandeiras do governo Dilma Rousseff, no entanto, ficou para esta quinta, 5.

Na noite desta quarta, Henrique Alves e Temer estão reunidos no Planalto, mas a reunião conjunta com a presença de Calheiros foi adiada para esta quinta. O presidente do Senado não ficou esperando a hora que Henrique Alves poderia deixar o plenário da Câmara, porque oferecerá, na residência oficial do Senado, um jantar em homenagem ao ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Renan convidou Temer e Henrique Alves para o jantar desta noite.

Tudo o que sabemos sobre:
voto secretoTemerCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.