Estadão
Estadão

Réu na Lava Jato, Cunha acompanha depoimentos de testemunhas de acusação

Os depoimentos são colhidos pelo juiz instrutor do STF Paulo Marcos de Farias, na 9.ª Vara Criminal Federal, no centro do Rio

Luciana Nunes Leal, O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2016 | 16h04

RIO - Réu em ação penal do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga pagamento de propina de US$ 5 milhões para venda de navios-sonda à Petrobrás, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), assiste na tarde desta segunda feira, 1º, a depoimentos das testemunhas de acusação apontadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Os depoimentos são colhidos pelo juiz instrutor do STF Paulo Marcos de Farias, na 9.ª Vara Criminal Federal, no centro do Rio. Farias trabalha no gabinete no ministro relator da Lava Jato, Teori Zavascki. Cunha já ouviu o depoimento do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa.

O segundo a depor, também diante de Cunha, é o ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró. O terceiro depoimento será do lobista Fernando Antônio Falcão Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de desvio de recursos da estatal.

Costa chegou à sede da Justiça Federal às 13h10 e fez um lanche na cantina, antes de subir para a sala de depoimentos. Ele saiu pouco antes das 15h. Ao chegar, Cunha disse não ter sido convocado, mas não quis falar com a imprensa. O deputado nega envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás. Cerveró, Fernando Baiano e Costa tiveram benefícios judiciais depois de fecharem acordo de delação premiada e revelarem detalhes dos desvios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.