Celso Junior/AE
Celso Junior/AE

Retirada de manifestantes da Câmara do DF é adiada para terça

Expectativa era de que polícia expulsasse os manifestantes da Câmara à força ainda nesta segunda-feira

Leandro Colon, de O Estado de S.Paulo,

07 de dezembro de 2009 | 18h21

Numa solução negociada com deputados distritais do PT e PDT, a Polícia do Distrito Federal adiou para esta terça-feira, 8, a operação de retirada dos manifestantes que ocupam a Câmara Legislativa desde a última quarta-feira, 2. O grupo que ocupa a Casa deve entrar em negociação com deputados para desocupar ou deixar o local para que os parlamentares possam retomar as votações e deliberações em plenário.

 

O grupo de manifestantes invadiu as instalações da Câmara Legislativa de Brasília em protesto pelo impeachment do governador José Roberto Arruda (DEM) e do vice-governador Paulo Octávio, suspeitos de coordenarem o esquema de corrupção que implodiu o governo do Distrito Federal.

 

Mais cedo, a expectativa era de que a polícia expulsasse os manifestantes da Câmara à força, já que os estudantes prometiam resistir. Na sexta-feira, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) concedeu liminar autorizando a reintegração de posse do plenário da Casa.

 

A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF), Stephania Viveiros, tentou convencê-los a sair da Câmara mas, em votação, os manifestantes, decidiram continuar ocupando o local, descumprindo a decisão judicial. "Eu tentei", disse ela.

Os manifestantes querem que a Câmara Distrital vote o pedido de impeachment do governador José Roberto Arruda e do vice Paulo Octávio. Hoje, a OAB-DF protocolou um pedido de impeachment do governador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.