Resultado de eleição não se discute, diz Agripino

O candidato derrotado à presidência do Senado, senador José Agripino (PFL-RN), disse nesta quinta-feira que não pretende analisar se houve ou não traição com a sua candidatura, por parte de integrantes do seu partido e do PSDB. Ele esperava pelo menos 41 votos e recebeu apenas 28. "Política se faz com a seqüência dos fatos. Agredir com a palavra traição não é positivo e eu não farei isso", afirmou. "Mas resultado de eleição não se discute. Aceita-se", acrescentou o senador. Ele disse que como candidato do Planalto, o presidente reeleito, Renan Calheiros (PMDB-AL), usou as armas que tinha. Questionado quais seriam essas armas, disse que se referia a favores do governo. Para Agripino, um dos pontos positivos da candidatura agora é que Renan Calheiros será cobrado pelos compromissos que fez antes da eleição. Renan prometeu em seu discurso restringir o abuso na edição de medidas provisórias e por em votação os vetos presidenciais. José Agripino disse que se for vontade da bancada continuará com a liderança do PFL do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.