Restos mortais de Campos chegam a IML de SP para teste de DNA

Dentista do ex-candidato deixou radiografias do ex-candidato no local; exames serão feitos por equipe de 10 peritos criminais 

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 23h35

SÃO PAULO - Os primeiros restos mortais que foram removidos do local do acidente que vitimou o candidato à Presidência da República Eduardo Campos e outras seis pessoas chegaram ao Instituto Médico Legal (IML), em Pinheiros, por volta das 19h45. Há grande presença policial na local, impedindo a entrada de jornalistas. Em frente ao IML, uma base móvel da Polícia Militar foi instalada. Também estão na região pelo menos duas viaturas da Polícia Civil.

De acordo com boletim da Secretaria de Segurança Pública, 30 profissionais da perícia aguardavam a chegada dos restos mortais, além de quatro peritos da Polícia Federal. 

A pasta ainda informou que os exames de DNA serão feitos sob responsabilidade de 10 peritos criminais do Instituto de Criminalística, especialistas em genética forense. 

O dentista de Eduardo Campos, Fernando Cavalcanti, saiu do IML no final da noite desta quarta e deixou radiografias do ex-candidato no local. Ele afirmou que se forem encontrados fragmentos da arcada dentária de Campos, a identificação do corpo poderá ser feita.

O deputado federal Júlio Delgado, que esteve no IML com Alckmin e disse ser um grande amigo de Campos, afirmou que recebeu toda a assistência do governador paulista. "Os trabalhos devem começar ainda nessa madrugada", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.