Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Ressentido com Alckmin, PRB lança candidatura de Russomanno ao governo

Partido sairá com candidato próprio porque não recebeu cargo prometido pelo governador no ano passado

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

01 de março de 2013 | 20h13

SÃO PAULO - Sem receber o comando da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), cargo prometido no ano passado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), o PRB decidiu, em reunião na última quinta-feira, 27, que vai lançar a candidatura do ex-deputado Celso Russomanno ao governo do Estado em 2014.

No ano passado, Alckmin, Russomanno e o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, firmaram um acordo informal visando a reeleição do tucano. O movimento do PSDB era para tentar impedir que o capital político adquirido por Russomanno nas eleição para a Prefeitura de São Paulo em 2012 fosse arregimentado pelo PT na disputa estadual do próximo ano. Alckmin, então, sinalizou que entregaria o comando do Procon para o PRB - Russomanno tem como principal bandeira a defesa do consumidor.

Na reunião, a direção do PRB concluiu que os ganhos para a sigla seriam os mesmos lançando Russomanno candidato ao Estado, ou à Câmara dos Deputados, como pretendiam anteriormente. A expectativa no PRB é que o ex-deputado "puxe" 1,5 milhão de votos para a legenda. O anúncio da candidatura será feito em abril.

Repetição. A estratégia do PRB para 2014 é a de explorar a popularidade de Russomanno. Depois de sair politicamente fortalecido da disputa pela Prefeitura, ele também ganhou um quadro novo de defesa do consumidor no Programa da Tarde, na Rede Record.

Marcos Pereira e o presidente municipal da sigla, o ex-secretário Marcos Cintra, vão capitanear a candidatura de Russomanno ao governo do Estado. Segundo pessoas próximas a Pereira, as articulações já começaram a ser feitas. Partidos como a Rede, de Marina Silva, e o PSB já foram sondados pelo PRB para uma eventual composição no ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.