Resolução do TSE pode barrar doações secretas a candidatos

Objetivo é impedir que os políticos recebam repasses ilegais e deem informações sobre a origem do dinheiro

estadao.com.br,

15 de janeiro de 2010 | 14h18

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta sexta-feira, 15, uma resolução que, caso seja aprovada, vai impedir doações eleitorais que não permitem a identificação dos candidatos beneficiados e dos doadores. Esta é uma das resoluções apresentadas pelo ministro do TSE Arnaldo Versiani, que ainda precisam passar por audiência pública a ser realizada no início de fevereiro.

 

Atualmente, os partidos podem receber doações sem especificar qual candidato receberá a quantia e, em seguida, distribuir os recursos entre os políticos em campanha sem especificar a origem do dinheiro. Com a alteração, o objetivo é impedir que os políticos recebam repasses ilegais e dar informações sobre a origem do dinheiro de campanha dos candidatos.

 

O ministro também apresentou minutas de disposições que visam permitir a realização de contribuições eleitorais com cartão de crédito e pela internet. Após a realização da audiência pública, as resoluções deverão ser votadas no plenário do TSE, que deve decidir sobre o mérito das propostas até 5 de março.

Tudo o que sabemos sobre:
TSEdoação secretacampanhaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.