Reserva indígena em área de conflito será homologada pela União

O governo federal decidiu homologar em janeiro a demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, considerada uma das mais polêmicas e conflituosas do País, pelo fato de que na área existem dois municípios e grandes fazendas de arroz. O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, depois de conversar com o governador do Estado, Flamarion Portela, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão, no entanto, pode reacender os conflitos existentes há mais de 20 anos entre índios e brancos.Cerca de 15 mil índios macuxi, wapichana, ingarikó, taurepang e patamona vivem na reserva Raposa Serra do Sol, nas proximidades da fronteira com a Venezuela, em constantes conflitos com fazendeiros. Os brancos reivindicam que a demarcação seja feita em forma de ilhas, deixando fora do território indígena as propriedades rurais e as cidades de Uiramutã e Pacaraima.O governo do Estado também protesta pelo fato de que Roraima terá apenas 30% de seu território próprio. Os outros 70% pertenceriam à União, já que são terras indígenas e áreas de preservação. Raposa Serra do Sol, que tem uma área de 1,6 milhão de hectares, é a segunda maior terra indígena da região Norte, ficando abaixo apenas da área ianomami, também em Roraima. Segundo Thomaz Bastos, a União está negociando áreas em outras regiões de Roraima, junto com o Incra, para abrigar as famílias que serão retiradas da reserva. "Nós faremos tudo com a máxima serenidade. Não é necessário pressa e nem conflitos", afirmou o ministro da Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.