Requião votou pela cassação e não contra, diz ACM

O ex-senador Antônio Carlos Magalhães disse hoje, depois da posse de seu filho Antônio Carlos Júnior, no Senado, que existe pelo menos um erro na lista que foi divulgada hoje pelo ?Jornal do Brasil? como o resultado da votação secreta que cassou o ex-senador Luiz Estevão. Segundo ACM, o senador Roberto Requião (PMDB) votou pela cassação e não contra, como aparece no jornal. O ex-senador disse ainda que o discurso de seu filho foi curto, mas que ele será um grande senador e que não precisará de sua ajuda para exercer o mandato. A posse Antonio Carlos Peixoto Magalhães, filho de ACM, adotará o nome político de Antonio Carlos Júnior. Ele tomou posse fazendo o juramento de praxe e um discurso curto, no qual homenageia seu pai e seu irmão, o deputado Luiz Eduardo Magalhães, morto em abril de 1998. Antonio Carlos Júnior disse que seu pai foi "injustamente julgado pelo Senado, mas encontrou na renúncia a melhor maneira de servir à Bahia e ao Brasil". Disse ainda que, no Senado, seguirá os passos firmes do pai. Fez também uma homenagem a Luiz Eduardo, qualificando-o como um grande reformador. Antonio Carlos Júnior encerrou seu discurso repetindo uma frase atribuída a Luiz Eduardo, que está grafada no memorial do deputado em Salvador: "Tenho a responsabilidade de ser filho do melhor e maior político do Brasil e ao mesmo tempo do homem que conheço que mais ama a Bahia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.