Requião volta a criticar liberação de soja transgênica

O governador do Paraná, Roberto Requião, voltou a condenar a decisão do governo de liberar o plantio e comercialização da soja transgênica no Rio Grande do Sul, na atual safra. "Falta só liberar a maconha", afirmou. O governador disse que no Paraná a soja transgênica não entra. "Só selada e lacrada", disse. Requião justificou sua decisão de impedir o trânsito de caminhões com a soja transgênica lembrando que está apenas cumprindo a medida provisória do governo que confinou os transgênicos ao Rio Grande do Sul. Ele informou também que proibiu o embarque e desembarque de soja transgênica por porto no Paraná "para não haver contaminação". Disse que sua equipe estuda uma forma de liberar os caminhões com soja transgênica que foram retidos. Criticou ainda o governador do Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, que entrou com ação na Justiça pelo fato de ter proibido que os caminhões passassem por seu Estado. "Cumpro a determinação da medida provisória que é do governo do PT. Como governador do PT, seria bom que fizesse o mesmo", disse. Com ironia, Requião recomendou a Zeca do PT que entre com ação contra o governo federal. "Eu só cumpro a MP assinada pelo governo do PT".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.