Requião não acredita que funcionários agiram sozinho

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), em aparte ao pronunciamento do líder do governo no Senado, José Roberto Arruda (PSDB-DF), disse há pouco que o pronunciamento de defesa de Arruda foi consistente, mas que ainda está faltando a rép lica da ex-diretora do Centro de Informática e de Processamento de Dados do Senado Federal (Prodasen), Regina Célia Borges. Segundo Requião, a violação do painel de votação eletrônica do Senado é hoje um fato incontestável que não pode acreditar que funcionários do Senado tenham sido os únicos responsáveis por ela. O senador disse, ainda, que o Senado não vai permitir que funcionários respondam por outros. "Vou dedicar o meu mandato para que a corda não arrebente no lado mais fraco", disse Requião. Para o senador, os funcionários são responsáveis pelo que fizeram, mas a tal lista com os votos dos senadores no processo de cassação do ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF) não vazou pelas mãos da diretora do Prodasen. Arruda contestou Requião, dizendo que o importante não é o lado em que a corda possa rebentar, mas que a investigação vá até o fim para apurar quemsão os responsáveis e que estes sejam punidos, sejam eles poderosos ou fracos. "Não se culpe antes de julgar. Não invertam o ônus da prova. Se fez, é culpado, sim, e vai ter que dizer a serviço de quem, seja daqui (do Senado) ou de fora daqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.