Requião defende parceria da TV Educativa com Telesur de Chávez

O governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), confirmou e defendeu ontem a parceria entre a TV Educativa do Paraná e a Telesur, da Venezuela, alegando que é preciso "vender o Brasil" no exterior. "A América do Sul não conhece o Brasil. Já transmitíamos programação da Telesur antes, via satélite, e agora só vamos oficializar", explicou ele, em Nova York, onde participou de encontro do Conselho das Américas. O anúncio do acerto entre Requião e o presidente venezuelano, Hugo Chávez, foi feito anteontem, mas ainda não há data para sua formalização. Pelas informações divulgadas, a emissora paranaense transmitirá três horas diárias de programação da Telesur e, em contrapartida, a venezuelana veiculará seis horas de produção da TV Educativa. Requião quer fechar acordos semelhantes com outros países. O presidente da Telesur, Andrés Izarra, disse que vai expandir o alcance da emissora para Equador, Nicarágua e países da Europa. A Telesur iniciou suas atividades em julho de 2005, por iniciativa de Chávez. Segundo o presidente venezuelano, o objetivo é oferecer uma alternativa à informação veiculada por outras redes internacionais. Os críticos acusam Chávez de criar um instrumento de propaganda para o seu regime. Requião já recebeu Chávez no Estado e esteve com ele em ato da Via Campesina e do Movimento dos Sem-Terra (MST). Em dezembro passado, a Juventude do PMDB do Paraná divulgou cartão desejando um 2007 com "grandes vitórias". A mensagem, acompanhada da inscrição "outro mundo é possível", vinha com uma fotomontagem de Requião ao lado de Fidel Castro, Chávez e Che Guevara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.