Reprise, discurso não teve novidade

Tom ufanista funciona em comícios, mas não combina com a intimidade requerida na TV

Análise: José Roberto de Toledo, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2010 | 10h53

A propaganda do DEM foi uma reprise do ato de lançamento da pré-candidatura de Serra pelo PSDB, no começo de abril. Os caciques do DEM se limitaram a fazer comentários sobre a fala do aliado e a terceirizar críticas ao PT.

 

Veja também:

David Fleischer: Programa evitou tom agressivo

Adilson Xavier: Simplicidade ou falta de recurso

Keila Jimenez: Onde está o marqueteiro?

 

Como toda reprise, o discurso de Serra não teve novidade. O tom ufanista funciona em comícios, mas não combina com a intimidade requerida por um programa de TV.

 

Se é para passar por cima da Lei Eleitoral, melhor seria que o DEM e Serra imitassem o PT e Dilma e colocassem o pré-candidato se dirigindo diretamente ao público.

 

O programa não teve emoção nem aproximou Serra dos eleitores.

 

Ele terá nova chance na propaganda do PSDB. Dessa vez, espera-se que a produção seja menos improvisada.

 

José Roberto de Toledo é jornalista especializado em uso de estatísticas

Mais conteúdo sobre:
DEM Jose Serra propaganda partidaria

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.