Representante da Unesco se refere a Marinho como "ícone"

O representante da Unesco no Brasil, Jorge Werthein, afirmou que com a morte do jornalista Roberto Marinho "o Brasil perde um dos mais brilhantes homens públicos, que, com talento e dedicação, foi responsável pela construção de uma magnífica obra de comunicação e difusão cultural". Werthein comentou que o jornalista, além de grande empreendedor do ramo de comunicação, se destacou como ?ícone brasileiro na defesa da cultura e da educação, cuja trajetória contribuiu de forma decisiva para projetar o Brasil no âmbito internacional?.MinistroNa avaliação do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o jornalista Roberto Marinho foi um homem feliz. "Ele teve uma vida longa, frutífera, proveitosa. Construiu muitas coisas e não veio para a vida a passeio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.