Repercussão vai de rede social ao papa

Comemoração do avanço do impeachment e críticas à votação no plenário do Senado movimentam redes; militância apela ao Vaticano

O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2016 | 05h00

A batalha pelo convencimento do voto contra ou a favor do impeachment no Senado não foi intensa somente no ambiente do Legislativo. A repercussão se espalhou pelas redes sociais, com manifestações em diversas capitais, e chegou ao Vaticano.

Logo cedo, quando os trabalhos eram iniciados no plenário, redes sociais divulgavam depoimentos da juíza Kenarik Boujikian, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que, com a atriz Letícia Sabatella, foi se queixar do processo contra Dilma ao papa Francisco. Visita foi registrada pela Rádio do Vaticano e foi para a internet.

À noite, ativistas anti-Dilma comemoravam o avanço do processo, enquanto defensores da presidente condenavam a votação. Desde a noite de terça-feira, a página do PMDB no Facebook foi alvo de protestos. Internautas postaram emojis de vômito nos comentários em movimento chamado de “vomitaço”. Em duas horas, 20 mil comentários.

Mais conteúdo sobre:
VaticanoPMDBFacebookImpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.