Repercussão no exterior

BBCO Brasil "não deve lamentar" o escândalo do mensalão e sim tomar atitudes, punir os culpados e combater a corrupção, disse o coordenador da Transparência Internacional, Andrés Hernandez. Em entrevista à BBC Brasil, ele advertiu que essa "é uma tarefa de todos" e o governo "tem o importante papel de demonstrar que casos internos de corrupção não ficarão impunes". Hernandez acha importante "que as sociedades avancem de maneira conjunta" na luta contra a corrupção.FINANCIAL TIMESA suprema corte brasileira decidiu processar antigos líderes do partido e do governo do presidente Lula. O FT dá destaque ao que considera "o principal deles", o ex-ministro José Dirceu, "antigo ministro do presidente". E cita um cientista político, Luciano Dias: "Mais do que qualquer outro caso no passado, este vai ajudar a definir se as autoridades brasileiras estão acima da lei." O diário londrino afirma que a Justiça pede o retorno de R$ 55 milhões supostamente pagos em propinas.EL PAISO jornal espanhol informa que o STF "já julgou personalidades, entre as quais 2 ex-ministros de Lula". E esse fato mostra "que as acusações da promotoria tinham fundamento e não se tratou, como alegava o governo, de uma simples manobra política para derrubar Lula". O texto define o principal condenado, José Dirceu, como "o homem mais poderoso dos primeiros dois anos do governo Lula" e seu "braço direito". E destaca quatro líderes do PP, acusados de receber R$ 4,1 milhões.THE WASHINGTON POST"O outrora segundo mais poderoso homem do maior país da América Latina, o ex-ministro José Dirceu, é agora acusado de orquestrar um esquema de propinas a congressistas, em troca de apoio à agenda do presidente da Silva", diz o jornal americano. O texto ressalta que as acusações podem levar a até 12 anos de prisão - e a de formação de quadrilha, se confirmada, acrescentaria mais 3, informa o Washington Post, citando alguns pontos da denúncia do procurador-geral da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.