Repatriação de menino de Taiwan deve demorar

A falta de relações diplomáticas entre o Brasil e Taiwan deverá tornar o processo que irá tentar repatriar o menino I.E.W, de cinco anos, de volta para o Brasil ainda mais lento. O Itamaraty terá de enviar a carta rogatória solicitando a repatriação da criança à Justiça de Taiwan por um terceiro país, que mantenha relações diplomáticas com a ilha.O Ministério das Relações Exteriores ainda está estudando o caso, mas afirma que provavelmente o trâmite jurídico será feito via Paraguai, o sócio do Mercosul que possui relações diplomáticas com Taiwan.Desde o mês passado, o menino está sendo retido em Taiwan pelos familiares do pai de I.E.W, o chinês Teng-Shu, que morreu depois de levar a criança de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, para conhecer os avós, em Taiwan.O menino era criado pela avó materna em Canoas, desde o falecimento da mãe brasileira, em 1998. O escritório de representação de Taiwan em Brasília informou que o Ministério das Relações Exteriores de Taiwan está empenhado em resolver o caso e convencer a família a devolver o menino, mas a decisão será da Justiça.Parceiro estratégico da China, o Brasil não possui relações diplomáticas com Taiwan porque a China não reconhece Taiwan como um país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.