'Renúncia seria um desrespeito ao Brasil', diz Renan

Na véspera do julgamento no Plenário, o presidente do Senado, Renan Calheiros, descartou a possibilidade de renunciar ao cargo ou pedir licença da presidência da casa. "Qualquer coisa que diga respeito a licença ou renúncia não faz parte da minha personalidade", disse, ao chegar ao Congresso. Para o presidente do Senado, qualquer atitude no sentido da renúncia ou licença seria "um desrespeito ao Brasil e ao Senado brasileiro".Renan afirmou que durante 120 dias, "com sofrimento e com exposição da família", vem lutando para provar a inocência. E acrescentou: "Por isso, não tem sentido, absolutamente nenhum sentido que agora se faça isso (renúncia ou licença). A sessão que vai julgar o processo de cassação de Renan Calheiros está marcada para amanhã, às 11 horas. Em um dos processos, o presidente do Senado é acusado de ter despesas pessoais pagas por um lobista da empreiteira Mendes Junior. A sessão será secreta e será presidida pelo senador Tião Viana (PT-AC), primeiro vice-presidente do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.