Renúncia demonstra clima de anormalidade, diz ministro

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), comentou nesta tarde a renúncia do governador interino do Distrito Federal Paulo Octávio. Indagado se a saída reforça a necessidade de intervenção no Distrito Federal, o ministro disse: "Não revela um quadro de normalidade e uma intervenção se baseia justamente na discrepância dos fatos e das instituições. Não é normal um vice-governador renunciar. Temos que aguardar o relatório e o voto do ministro Gilmar Mendes (sobre o pedido de intervenção). A questão é tão séria que há relator exclusivo, que é o presidente do Supremo", disse.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agencia Estado

24 de fevereiro de 2010 | 16h31

Amanhã o STF julga o pedido de habeas-corpus de José Roberto Arruda, governador licenciado do DF preso há duas semanas na sede da Polícia Federal.

Paulo Octávio enviou ontem à tarde aos deputados distritais sua carta de renúncia alegando falta de apoio para governar. Nesta manhã, o presidente da Câmara Legislativa, Wilson Lima (PR), assumiu o governo e já reuniu o secretariado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.