Renan tenta atuar junto ao PMDB para aprovação do mínimo

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), irá para a liderança de seu partido na Câmara dentro de alguns minutos para participar das articulações para aprovar o salário mínimo de R$ 260,00. Depois de ter atuado com firmeza na Câmara para derrotar a proposta de emenda constitucional (PEC) que permitia a reeleição nos postos de comando do Congresso, Renan quer repetir sua atuação, desta vez em favor do Planalto. Segundo um dirigente nacional do PMDB, Renan soube ontem à tarde que os presidentes da Câmara, João Paulo Cunha, e do Senado, José Sarney, haviam fechado um acordo para colocar a PEC da reeleição novamente em votação no final deste mês. A data provável da nova investida será 23 de junho.Renan quer marcar presença na votação do mínimo para mostrar ao Planalto que é um aliado confiável e fundamental ao governo para, assim, garantir a neutralidade do governo na segunda votação da PEC da reeleição. Segundo dirigentes do PMDB, Renan está "furioso" com a possibilidade de ter que ser forçado a derrotar a mesma PEC duas vezes e esta articulação seguramente trará prejuízo político para o governo no senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.