Renan se recusa a receber intimação que pune faltosos

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recusou-se a receber um oficial de Justiça que tentou entregar um mandado de notificação e intimação expedido pelo juiz da 20ª Vara da Justiça Federal em Brasília, Márcio José de Aguiar Barbosa, determinando aos presidentes da Câmara e do Senado que suspendam o pagamento dos parlamentares que faltarem durante a convocação extraordinária. Pelo despacho do juiz, a não suspensão dos pagamentos sujeitará cada casa do Congresso a uma multa diária de R$ 100,00 por cada parlamentar que não comparecer. "Isso não merece nem resposta. Por favor, com todo o respeito", afirmou Renan, quando questionado se receberia o oficial de Justiça, a quem mandou falar com um advogado do Senado. Na Câmara, o presidente da Casa, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), teve atitude diversa da de Renan, recebendo uma notificação semelhante, que lhe foi entregue por uma oficial de Justiça. Pela ordem judicial, Renan e Aldo terão prazo máximo de 60 dias, após o término da convocação extraordinária, para prestar contas da freqüência e dos cortes de pagamentos feitos a parlamentares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.