Renan propõe reunião de paz entre os três Poderes

Após conversar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou nesta quinta-feira que vai propor um encontro entre os chefes dos Três Poderes. Segundo Renan, a reunião serviria para "acabar com a ansiedade" nas relações entre Legislativo, Judiciário e Executivo. "Tudo o que o País não quer é uma crise institucional. Quer, sim, que os Poderes se encontrem e que a economia cresça." O senador observou que a relação de hoje - com bate-boca entre parlamentares e ministros do Judiciário - "não é uma tradição da política brasileira". E sentenciou: "Esse ramerrame não pode continuar." Nesta tarde, Renan já conversou com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Ellen Gracie, que, segundo ele, concordou com a proposta da reunião. O presidente do Senado disse também que se dispõe a conversar com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), para avançar na votação de matérias já aprovadas pelos senadores que estão paradas na Câmara. Entre essas propostas está um pacote com várias medidas na área de segurança pública aprovado pelo Senado no ano passado. Sobre reforma ministerial, Renan disse que o presidente Lula está esperando que os partidos da coalizão cheguem a uma solução política. Segundo o senador, o resultado da disputa pelas presidências da Câmara e do Senado não influirá na escolha de ministros pelo presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.