Renan pede mais tempo para Senado discutir voto aberto

Proposta que elimina voto secreto no Legislativo está pronta para apreciação, mas Renan argumenta que alterações feitas pela Câmara precisam ser avaliadas

Débora Álvares - O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2013 | 11h37

Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira, 29, que os senadores precisam de mais tempo para discutir o voto aberto, embora a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que os institui esteja pronta para ser apreciada no plenário. Semana passada, os senadores aprovaram o fim do voto secreto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. A matéria também já teve as cinco sessões de discussão em plenário esgotadas.

Renan argumenta que o Senado já deu sua resposta às ruas ao aprovar a abertura do voto em casos de cassação de mandato, o que prevê a PEC de autoria do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) já aprovada pelo Senado, mas parada na Câmara. "Já votamos o fim do voto secreto para julgamento de senador e deputado. Essa matéria foi para a Câmara dos Deputados e lá incluíram todas as outras modalidades de voto, inclusive as modalidades que são competência do Senado. Então isso precisa de um tempinho a mais para se resolver definitivamente", disse Calheiros.

Em agosto, após livrar da cassação o deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO), contudo, a Câmara ampliou as possibilidades de voto aberto e votou a PEC atualmente em discussão do Senado. Pelo texto, não apenas cassação de mandato, mas também votação de vetos e de indicação de autoridades - essa é uma prerrogativa apenas de senadores - passariam a ser abertos.

Mais conteúdo sobre:
Senadovoto aberto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.