Renan pede equilíbrio e serenidade na CCJ

Para o peemedebista, reunião da Comissão é uma 'tentativa de impor um desgate a Lula e Dilma'

Renata Veríssimo e Fabio Graner, AE

18 de agosto de 2009 | 14h21

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu nesta terça-feira, 18, aos senadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que tenham equilíbrio e serenidade neste momento político complexo. Segundo ele, o depoimento da ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira implica em outro fator, que é a eleição de 2010. "Temos que ter muito equilíbrio. Mais que o esclarecimento de um episódio, essa reunião é sobretudo uma tentativa de impor ao presidente Lula e à ministra Dilma um desgaste artificial", disse Renan.

 

Veja também:

linkSimon diz que governo quer ganhar tempo no caso Lina

 

O senador lembrou que em outros episódios, como o dos cartões corporativos, da Varig e agora da Petrobrás, não há nenhum vestígio de irregularidade. "Lamentavelmente, as pessoas procuram colocar o presidente Lula e a ministra Dilma a uma exposição depreciativa", disse.

 

Renan afirmou que é preciso que se tenha cuidado para que não se leve de "rodão" a imagem de pessoas inocentes e completou  recomendando que a reunião da CCJ não deve se transformar em um "vazador de ressentimento".

 

Tudo o que sabemos sobre:
Renan CalheirosCCJcalma e serenidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.