André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Renan nega indicação de aliado para o Itamaraty

Em reunião com senadores na casa de Kátia Abreu (PMDB-TO), Calheiros teria dito aos colegas que Luiz Fernando Bandeira de Mello, secretário-geral da Mesa Diretora do Senado, seria o novo embaixador do Brasil na Bélgica

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2016 | 15h22

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou nota negando que tenha feito qualquer indicação para postos no Itamaraty. Durante reunião de senadores na casa de Kátia Abreu (PMDB-TO), Renan teria dito aos colegas que o secretário-geral da Mesa Diretora do Senado, Luiz Fernando Bandeira de Mello, seria o novo embaixador do Brasil na Bélgica.

"O presidente Renan Calheiros, em face de especulações recentes sobre postos em embaixadas brasileiras no exterior, reitera que não fará indicações para o governo enquanto presidir o Senado Federal. O presidente entende que tal postura é incompatível com a independência dos Poderes", diz a nota.

Bandeira de Mello é braço direito de Renan no Senado. Segundo fontes, o acordo para indicá-lo ao Itamaraty teria sido selado em jantar com o presidente em exercício Michel Temer nessa terça-feira. Desde então, Renan tem dado sinais de proximidade com Temer. "Nunca estive tão próximo de Temer", afirmou ao Estadão. Em coletiva na última quinta-feira, 16, defendeu o presidente em exercício, que foi citado pelo delator Sérgio Machado no âmbito da Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.