André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Renan nega indicação de aliado para o Itamaraty

Em reunião com senadores na casa de Kátia Abreu (PMDB-TO), Calheiros teria dito aos colegas que Luiz Fernando Bandeira de Mello, secretário-geral da Mesa Diretora do Senado, seria o novo embaixador do Brasil na Bélgica

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2016 | 15h22

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou nota negando que tenha feito qualquer indicação para postos no Itamaraty. Durante reunião de senadores na casa de Kátia Abreu (PMDB-TO), Renan teria dito aos colegas que o secretário-geral da Mesa Diretora do Senado, Luiz Fernando Bandeira de Mello, seria o novo embaixador do Brasil na Bélgica.

"O presidente Renan Calheiros, em face de especulações recentes sobre postos em embaixadas brasileiras no exterior, reitera que não fará indicações para o governo enquanto presidir o Senado Federal. O presidente entende que tal postura é incompatível com a independência dos Poderes", diz a nota.

Bandeira de Mello é braço direito de Renan no Senado. Segundo fontes, o acordo para indicá-lo ao Itamaraty teria sido selado em jantar com o presidente em exercício Michel Temer nessa terça-feira. Desde então, Renan tem dado sinais de proximidade com Temer. "Nunca estive tão próximo de Temer", afirmou ao Estadão. Em coletiva na última quinta-feira, 16, defendeu o presidente em exercício, que foi citado pelo delator Sérgio Machado no âmbito da Lava Jato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.