ED FERREIRA/ESTADÃO
ED FERREIRA/ESTADÃO

Renan não acompanhará Dilma em viagem a Alagoas

Participação de aliados em eventos ao lado da presidente em redutos eleitorais é praxe, mas agenda de senador do Congresso diz que ele comandará sessões no Senado nesta quinta

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

05 Novembro 2015 | 10h55

BRASÍLIA - Apesar de ter ensaiado nos últimos meses uma reaproximação com o governo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não vai acompanhar a presidente Dilma Rousseff na passagem por Alagoas, seu Estado natal, nesta quinta-feira, 5.

Enquanto Dilma visita no fim da manhã a cidade de Inhapi, no sertão alagoano, a agenda do peemedebista registra que ele estará comandando a sessão do Senado. Às quintas-feiras, porém, o plenário da Casa costuma ficar vazio e Renan raramente aparece por lá.

O presidente do Congresso também não irá a Maceió, onde Dilma terá uma reunião com empresários locais no início da tarde.

É praxe aliados participarem de eventos ao lado da presidente quando ela visita seus redutos eleitorais. A baixa popularidade de Dilma e a crise do governo, porém, têm feito com que muitos deles desistam de comparecer às agendas presidenciais.

Herdeiro político do presidente do Senado, o governador de Alagoas, Renan Filho, vai à inauguração do trecho do Canal do Sertão no interior do Estado, mas não confirmou presença no encontro com os representantes do PIB alagoano. Segundo assessores, não há porque comparecer ao evento se a presidente for falar de pautas negativas, como a volta da CPMF.

Alheio a essas questões, o senador Benedito de Lira (PP-AL), que também faz parte da base aliada, decidiu integrar a comitiva presidencial e acompanhar Dilma nas suas duas agendas no Estado. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.