Renan faz campanha contra aprovação da emenda da reeleição

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, transformou o seu gabinete numa espécie de bunker contra a aprovação da emenda que permite a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado, e que deverá ser colocada hoje em votação na Câmara. Além da romaria de deputados de todos os partidos, que recebeu nesta manhã, Renan está falando por telefone com todos os parlamentares. Ontem à noite, ele conversou com cinco governadores do seu partido pedindo que atuem junto às bancadas contra a reeleição. Além do corpo-a-corpo, Renan está atuando para reforçar as dissidências dentro dos partidos, com o objetivo de esvaziar a votação. Para aprovar uma emenda constitucional é preciso o apoio de, no mínimo, 308 deputados. A estratégia de Renan é evitar que mais de 200 parlamentares se ausentem ou, se comparecerem, que votem contra. Pelas avaliações feitas pela manhã, Renan calcula que 15 deputados do PFL não aprovarão a tese da reeleição. No PMDB, o presidente do partido, deputado Michel Temer, informou que 90% da bancada estão contra a reeleição. Há pouco, parlamentares do PMDB informaram a Renan Calheiros que 95% dos deputados do PL também votariam contra a emenda. Renan está trabalhando para que a emenda seja colocada hoje em votação na Câmara, para definir logo essa situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.