Renan examina pedido de criação de CPI das ONGs

O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) entregou nesta terça-feira ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a liberação de recursos públicos do governo federal para organizações não governamentais (ONGs) e para organizações da sociedade civil e de interesse público (Oscips). O requerimento tem as assinaturas de 45 senadores, 18 a mais do que o número mínimo necessário.O problema é que a CPI terá vida curta, porque regimentalmente só poderá funcionar até o final da atual sessão legislativa, dia 22 de dezembro. Ou seja, daqui a um mês provavelmente nem estará instalada. Heráclito disse que fará uma nova coleta de assinatura no ano que vem. É provável que, então, quando for mesmo para investigar ONGs e Oscips, "desapareça" o apoio dado hoje pelos petistas e por governistas.Entre os que apóiam a iniciativa de pedido de criação da CPI, estão oito senadores do PT, como Tião Viana (AC), Paulo Paim (RS) e Saturnino Braga (RJ), além de senadores de outros partidos aliados do Palácio do Planalto, como José Sarney (PMDB-AP) e Waldir Raupp (PMDB-RO). O prazo para a conclusão dos trabalhos da comissão é de 60 dias a contar da data em que for instalada.Renan, ao receber o requerimento, informou que vai conferir as assinaturas e pedir à Assessoria Jurídica do Senado que avalie se existe ou não fato determinado que justifique a instalação da CPI. Somente depois dessa fase, segundo o presidente do Senado, é que os líderes deverão indicar seus representantes na comissão. Os trabalhos da CPI só devem começar no próximo ano, já que a atual legislatura termina dia 22 de dezembro. Samba e lutoApesar do luto por três dias, pela morte do senador Ramez Tebet (PMDB-MS), Renan Calheiros sambou nesta terça com a bateria da escola Império Serrano, do Rio e Janeiro, em frente ao Congresso Nacional. Renan arriscou passos de mestre-sala ao ser provocado por Ana Maria, a primeira porta-bandeira da escola. A Império Serrano participou da abertura da 2ª Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência. Os integrantes da escola apresentaram o samba-enredo que irá para o Sambódromo em 2007: Ser diferente é normal - a Império Serrano faz a diferença no carnaval. Este texto foi alterado às 21h50 com acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.