DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Renan elogia corte de ministérios, mas diz que medida poderia sido adotada antes

Presidente do Senado acredita que ação garante mais eficiência à máquina pública, mas diz que não representa 'grandes economias de receitas'

RICARDO BRITO, O Estado de S. Paulo

25 de agosto de 2015 | 12h29

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), elogiou nesta terça-feira, 25, a decisão do governo da presidente Dilma Rousseff de anunciar um corte de ministérios e cargos comissionados. Ele ressalvou, entretanto, que a redução poderia ter sido feita lá atrás, como a primeira medida da reforma do Estado.

"Eu acho que é uma boa iniciativa da presidente, isso poderia ter sido feito lá atrás. Eu fundamentalmente defendo corte de ministérios, cargos em comissão e a reforma do Estado para garantir mais eficiência da máquina pública", disse Renan, em entrevista na chegada ao Senado.

O peemedebista destacou que, embora não tenha sido consultado pela presidente, sempre defendeu as medidas anunciadas ontem pelo governo, que devem ser implementadas até o final de setembro. Ele destacou que a reforma do Estado é um grande exemplo do que se pode fazer para o ajuste fiscal. Os dois cortes, entretanto, não representam grandes economias de receitas, tendo um caráter mais simbólico.

Questionado se a proposta poderia causar uma insegurança na base aliada, que deve perder ministérios, Renan disse que "sinceramente" não sabe o que o governo está pensando. Mas frisou que a medida é "coerente com o ajuste fiscal que o governo está pretendendo fazer".

O presidente do Senado disse que fará um esforço para votar tudo que está na Agenda Brasil, conjunto de iniciativas anticrise lançadas por ele. "Vamos ouvir líderes, instalar a comissão que vai cuidar de todos os pontos desta agenda. É importante para o Brasil que a gente avance com relação a este objetivo", disse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.