Estadão
Estadão

Renan e Raimundo Lira se reúnem com presidente do STF para falar sobre impeachment

Presidente do colegiado do impeachment no Senado diz que serão definidos calendário e orientação para nova fase dos trabalhos

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2016 | 16h10

Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o presidente da Comissão Especial do Impeachment no Senado, Raimundo Lira (PMDB-PB), vão se reunir nesta terça-feira, às 16h, no gabinete do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, para tratar dos próximos passos da investigação e julgamento da presidente Dilma Rousseff.

De acordo com Lira, nesta reunião será definido um calendário, bem como a orientação para a nova fase dos trabalhos. Desta vez, a comissão, que passa a se chamar "comissão processante", vai avaliar o mérito da questão de impeachment em si, ou seja, verificar se a presidente de fato cometeu crime de responsabilidade.

Os senadores não têm tempo definido para avaliar o processo, mas contam com o objetivo de terminar o julgamento antes dos 180 dias em que a presidente ficará afastada temporariamente. Raimundo Lira estima que o processo dure entre 4 e 5 meses. Uma data, entretanto, já está definida. A presidente Dilma terá até 1º de junho para apresentar sua defesa à comissão.

O presidente da comissão disse ainda que não haverá reuniões do colegiado que avalia o impeachment durante esta semana. A pedido de algumas senadoras, que integram a comissão e que vão viajar a trabalho nesta semana, Lira preferiu não agendar reuniões. Ele reiterou ainda que quem está sob o comando do processo agora é o presidente do STF e que, mesmo que não esteja diariamente presente no Senado, as decisões finais caberão sempre a Lewandowski.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.