Renan é contra convocação extraordinária do Congresso

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), saiu de uma reunião de líderes governistas manifestando-se contra a convocação extraordinária do Congresso em julho e favorável a um esforço concentrado do Congresso em agosto, para votação dos projetos que integram a chamada agenda econômica do governo. Renan disse que, se o governo, apesar disso, quiser fazer uma convocação extraordinária em julho, que assuma o ônus de fazê-la. Embora se manifeste contra a convocação do Congresso em julho, Renan tem interesse nela, porque ela exigiria a definição de uma pauta de votações durante o mês de julho, a ser decidida pelo Palácio do Planalto. Com isso, Renan teria a certeza de que o presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), não poderia incluir na votação a proposta de emenda constitucional que permitiria a reeleição dos presidentes do Senado e da Câmara. Renan é contra a reeleição, já que é candidato pelo PMDB à presidência do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.