André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Renan diz que Senado agiu com isenção ao reconduzir Janot

O peemedebista já havia prometido, na semana passada, celeridade para levar ao plenário a votação sobre a indicação do chefe do MP assim que a sabatina fosse realizada

Beatriz Bulla e Carla Araujo, O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2015 | 22h49

Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta quarta-feira, 26, que a Casa agiu com isenção no processo de recondução do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O plenário do Senado referendou nesta noite a permanência de Janot por mais dois anos à frente do Ministério Público Federal, com 59 votos a favor, 12 contrários e uma abstenção.

"Nós cumprimos o calendário, que era a única maneira de o Senado demonstrar isenção absoluta na recondução do procurador-geral da República", afirmou Renan, ao sair da sessão que aprovou a recondução de Janot. O peemedebista já havia prometido, na semana passada, celeridade para levar ao plenário a votação sobre a indicação do chefe do MP assim que a sabatina fosse realizada.

"Evidente que era preciso garantir o debate na sabatina, dar o mesmo tempo para resposta, mas apreciar rapidamente que foi um compromisso público que assumi", completou Renan. Conforme o Broadcast Político revelou, um acordo fechado entre o governo e a cúpula do PMDB da Casa - maior bancada e cujo presidente e outros três senadores são investigados na Lava Jato - permitiu a aprovação de Janot. No total, o Senado possui 13 parlamentares investigados pelo procurador-geral da República por suposta participação no esquema de corrupção da Petrobras. 

Questionado sobre comportamento do senador e ex-presidente da República Fernando Collor (PTB-AL), que voltou a xingar em sussuros o procurador-geral da República durante a sabatina, Renan se esquivou de comentários e disse que não acompanhou a sessão da CCJ. "Não acompanhei a sabatina, estive durante grande parte do dia fora. O importante foi o parlamento vencer essa etapa", afirmou o presidente do Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodrigo JanotRenan CalheirosSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.