Renan diz que não pensa em recorrer ao STF

Nesta segunda, presidente do Senado se declarou 'impedido' de cuidar do próprio caso

Rosa Costa, do Estadão,

16 de julho de 2007 | 22h03

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), declarou nesta segunda-feira que não recorrerá ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que este julgue o processo em que é acusado de pagar despesas pessoais com dinheiro de um lobista de uma empreiteira. A uma pergunta se estava se sentindo enfraquecido, Renan respondeu: "Se falam por mim, não vale." Em seguida, deixou o prédio do Congresso.   Nesta segunda, Renan declarou-se "impedido" de tomar qualquer decisão a respeito do processo a que responde no Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar. O impedimento foi informado por meio de ofício ao presidente do órgão, senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO). Renan pediu ainda que, de agora em diante, toda correspondência relativa ao assunto seja encaminhada "diretamente" ao primeiro vice-presidente da Casa, senador Tião Viana (PT-AC).   O documento foi lido no plenário do Senado pelo senador Walter Pereira (PMDB-MS), que presidia a sessão. A atitude de Renan vem em sentido oposto às recentes manobras políticas para tentar abafar o caso.   Walter Pereira disse ter recebido um telefonema de Renan em que este tranqüiliza os senadores dizendo que está confirmada a reunião da Mesa Diretora do Senado marcada para as 11 horas desta terça-feira. Essa reunião foi convocada pelo presidente do Senado para a votação do pedido de aprofundamento da perícia da Polícia Federal sobre os documentos que Renan apresentou ao conselho para provar que, nos últimos quatro anos, teve rendimentos de R$ 1,9 milhão com venda de gado e não precisava de recursos de um lobista para pagar pensão alimentícia à jornalista Mônica Velloso com quem tem uma filha fora do casamento.   Diz o ofício encaminhado por Renan a Quintanilha: "Em atenção ao Regimento, suscito meu impedimento para despachar expedientes relativos à representação número 1, de 2007, motivo pelo qual solicito, respeitosamente, de V. Excelência que encaminhe diretamente ao primeiro vice-presidente da Casa, senador Tião Viana, as correspondências pertinentes ao sobredito procedimento disciplinar."

Tudo o que sabemos sobre:
RenanConselho de Ética

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.