Renan diz que morte de Déda deixa população 'desolada'

O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), lamentou nesta segunda-feira, 2, a "morte precoce" do governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT). Em nota, Renan disse que Déda, vítima de um câncer gastrointestinal aos 53 anos, deixa "familiares, amigos e a população brasileira desolados". O governador de Sergipe foi um dos fundadores do PT.

RICARDO BRITO, Agência Estado

02 Dezembro 2013 | 16h14

"Déda foi um grande quadro do PT e um expoente da política nacional, tendo atuado, bravamente, na discussão dos grandes temas de Sergipe e do Brasil. Homem culto e de personalidade admirável, era dono de um carisma e de uma eloquência cativantes e de uma força notável. Essa força o acompanhou nos quatro anos durante os quais lutou contra a doença que, lamentavelmente, o consumiu. A política brasileira perde um grande nome. Os familiares de Déda e os sergipanos perdem um grande homem", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
Marcelo DédamorteRenan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.