Renan diz que Lobão foi abordado de 'forma intimidatória'

Renan diz que Lobão foi abordado de 'forma intimidatória'

Segundo em nota emitida pelo presidente do Senado denúncias contra candidato ao governo 'só se prestam a explorações políticas'

Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2014 | 17h05

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou há pouco nota em que afirma que o senador Edison Lobão Filho (PMDB), candidato ao governo do Maranhão, foi abordado de "forma intimidatória e anômala" pela Polícia Federal na noite de ontem (24).

Renan é o segundo cacique do partido a se manifestar a respeito da ação da PF que fez uma busca em um avião da campanha de Lobão Filho no aeroporto de Imperatriz, no interior do estado. A partir de uma denúncia anônima, a PF pretendia apurar denúncia de suspeita de recursos ilegais na campanha.

"Edison Lobão Filho é um senador no exercício de suas atividades político-partidárias. Ações desencadeadas com base em denúncias anônimas, em pleno processo eleitoral, só se prestam a explorações políticas", critica Renan, em nota. "As instituições brasileiras devem estar zelosas de suas funções sem, entretanto, descambar para a exploração político-partidária", completa.

Mais cedo, o vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer, criticou a ação dos policias que abordaram a comitiva "com armas em punho". "Sob o pretexto de buscar recursos ilegais de campanha, foram feitas buscas na aeronave, nos automóveis e na bagagem dos membros da comitiva, numa ação intimidatória que, ao final, nada encontrou de irregular.

O procedimento foi baseado em denúncia anônima durante o curso da disputa eleitoral intensa. No estado democrático de direito é inadmissível que forças policiais sejam instrumentalizadas para atingir candidaturas legitimamente constituídas", afirma. 

Tudo o que sabemos sobre:
Senado, PMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.