Renan diz que Andrade deixará o PR rumo ao PMDB

O líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), anunciou hoje a filiação ao partido do senador Clésio Andrade (PR-MG), logo que ele obtiver a garantia da Justiça Eleitoral de que não perderá o mandato para o PR por infidelidade partidária.

BRASÍLIA, Agência Estado

17 de novembro de 2011 | 18h16

Presidente da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Andrade assumiu a vaga no Senado no lugar do titular Eliseu Resende (DEM-MG), que morreu no início do ano passado. Renan informou que Andrade entrou com um pedido de desfiliação na Justiça Eleitoral, mesmo tendo a garantia de dirigentes do PR de que o partido não cobrará a vaga.

Andrade não foi encontrado para comentar sua decisão. Há tempos afirma que está sendo discriminado pelos colegas do PR, a ponto de terem substituído os integrantes dos diretórios municipais indicados por ele. Ou seja, Andrade aponta falta de democracia e dificuldade em conviver num partido "com dono", referindo-se ao secretário-geral Valdemar da Costa Neto.

Renan lembra que o PMDB passará a ter um senador por Minas Gerais, como ocorria na legislatura anterior, com a presença de Hélio Costa (que disputou a eleição ao governo do Estado e não ganhou). O PR, por sua vez, perderá um senador e dirigentes municipais, que também deverão se filiar ao PMDB. Na noite de hoje, Costa oferecerá, em Brasília, um jantar a Andrade, com a participação de lideranças peemedebistas de Minas Gerais.

Tudo o que sabemos sobre:
PMDBPRClésio Andrade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.