Renan comemora derrota da reeleição com churrasco

O líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), comemorou a derrota da emenda que permitia a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado, em churrasco que varou a madrugada, na residência do senador Valmir Amaral(PMDB-DF). Na presença de senadores e deputados, inclusive do presidente do PMDB, Michel Temer (SP), Renan avaliou que o partido saiu unido contra a PEC da reeleição, uma vez que dos 78 deputados do partido, apenas 15 votaram a favor, 43 votaram contra, sete se abstiveram, e 13 não compareceram. Renan Calheiros saiu vitorioso com o resultado da votação e está disposto, agora, a procurar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que saiu derrotado, para uma conversa sobre a sucessão do comando da Casa, determinado a selar uma conciliação. Para Renan, a votação da emenda da reeleição contaminou a relação entre os partidos e que é preciso serenar os ânimos. Ele acompanhou toda a votação em seu gabinete ao lado de prefeitos e parlamentares aliados. Quando foi anunciado o resultado do placar, 313 votos favoráveis à emenda, 127 contra, não alcançando o quórum de 308 votos necessários para a sua aprovação, o clima foi de festa na sala da liderança do PMDB, que fica a menos de três metros da Presidência do Senado. Na avaliação de Renan, o resultado da votação não dá condição política para que o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), ponha em votação a emenda principal, com o argumento de que os deputados apreciaram ontem apenas o substitutivo do deputado Paes Landim (PFL-PI). "A emenda principal está politicamente inviabilizada, ganhamos a partida no campo do adversário e querer votar agora a emenda original seria tentar virar a mesa no tapetão", disse. Essa emenda não limita o número de recondução ao cargo, enquanto o substitutivo só permitia a reeleição por uma única vez, independentemente da Legislatura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.