Renan cobra posição do governo sobre reeleição no Congresso

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), cobrou uma posição do governo sobre a emenda constitucional que permite a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado. ?Ou o governo demonstra isenção ou assume o patrocínio da reeleição para, casuisticamente, reeleger os presidentes da Câmara e do Senado?, afirmou o líder, que quer o lugar de José Sarney (PMDB-AP)na presidência do Senado. ?É preciso que o governo diga o que vai fazer, o PMDB quer uma posição clara, aberta, transparente e sincera. Para ele, a eventual aprovação da emenda representa um retrocesso A aprovação da proposta pelo plenário da Câmara, segundo Renan, é mais fácil por conta do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo presidente, deputado João Paulo Cunha (PT-SP). ?Ele está fazendo um trabalho de convencimento pessoal e conversando com todos, independentemente de partido?, disse Renan, para quem o presidente da Câmara ?está forçando o calendário?.Já no Senado, em função da correlação de forças políticas, Renan entende que será mais difícil aprovar a emenda, que exige votos favoráveis de 49 senadores. Pelos cálculos do líder, como a maioria do PMDB é contra a proposta e a bancada do PT já teria fechado questão contra a reeleição, o quadro torna-se desfavorável para os defensores da tese. ?No Senado é impossível a aprovação, pois vamos ter mais de 30 senadores que, como eu, são contra o princípio da reeleição. O líder afirmou também que o PMDB não fará retaliações caso o governo venha a apoiar a emenda constitucional. ?Mais do que apoiar o governo o PMDB vai continuar apoiando o País?, disse. ?O PMDB vai continuar ajudando o governo e que ninguém quer desestabilizar o governo?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.