Renan cedeu passagens a envolvidos em denúncias

Em meio ao escândalo envolvendo recursos de lobista de uma empreiteira para pagar pensão a uma filha fora do casamento, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) usou sua cota de passagens aéreas para transportar dois assessores e um primo apontados como seus "laranjas" em empresas de comunicação. Segundo o site "Congresso em Foco", o Senado pagou 26 passagens para 4 personagens envolvidos nas denúncias que resultaram na queda de Renan da presidência da Casa, em 2007. Procurado, o senador informou que não comentaria o assunto.

AE, Agencia Estado

06 de maio de 2009 | 08h31

Ildefonso Antonio Tito Uchôa Lopes, primo de Renan, foi quem mais recebeu passagens pagas pelo Senado. Foram 13 bilhetes entre agosto de 2007 e novembro de 2008. Além do primo e dos assessores Everaldo França Ferro e Carlos Santa Rita, Renan bancou passagem para o veterinário Gualter Peixoto, que teria sido o responsável pela venda de 1.700 cabeças de gado de uma de suas propriedades. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
SenadopassagensRenan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.