André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Renan Calheiros nega que tenha indicado Silveira para governo Temer

Em nota, o presidente do Senado considera a indicação de nomes 'incompatível com a independência entre os Poderes'

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2016 | 19h07

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou nota para rebater "especulações" em torno do diálogo entre ele e o ministro da Transparência, Fabiano Silveira, em que tratam das investigações da operação Lava Jato. Ele afirma no texto que não fez indicações para autoridades do governo Temer. 

"Em face das especulações, reitero de maneira pública e oficial que não irei indicar, sugerir, endossar, recomendar e nem mesmo opinar sobre a escolha de autoridades no governo do Presidente Michel Temer", escreve Renan sem mencionar o nome de Silveira. O ministro é funcionário de carreira do Senado Federal.

Na nota, Renan pondera que, mesmo sendo do mesmo partido do presidente em exercício, ele considera a indicação de nomes "incompatível com a independência entre os Poderes".

Segundo Renan, ele defendeu em dois encontros com Temer que sua contribuição ao governo se dará em forma de agendas e programas.

O ministro Fabiano Silveira assumiu a pasta da Transparência há menos de um mês, quando Michel Temer assumiu o governo interino e extinguiu a Controladoria Geral da União (CGU), confiando suas funções à nova pasta. Silveira, que é funcionário de carreira do Senado, foi flagrado em um áudio gravado pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com o presidente do Senado, Renan Calheiros. Na conversa, Silveira faz críticas à condução da Lava Jato pela Procuradoria e dá conselhos a investigados na operação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.