Renan abre representações sobre processo e perícias

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), apresentou nesta terça-feira, 10, ao Conselho de Ética, quatro representações sobre processo contra ele, por quebra de decoro parlamentar. Por meio de seu advogado, Eduardo Ferrão, ele questiona decisão do presidente do colegiado, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), de anular o relatório de Epitácio Cafeteira (PTB-MA), primeiro relator do processo, que pedia o arquivamento do caso.Renan questiona ainda a abrangência das investigações, pede anulação da primeira perícia da Polícia Federal em seus documentos, alegando que ela foi realizada sem o aval da Mesa Diretora, e pede informações sobre perícia da própria Polícia Federal."O advogado solicitou que pudéssemos ter representação questionando o arquivamento de Cafeteira, a abrangência das investigações, questionando e pedindo anulação da primeira perícia da Polícia Federal pelos erros, que segundo ele, não foram viabilizados pela Mesa Diretora e também questionando a realização de perícia da Polícia Federal, porque, segundo ele, o conselho não tem esse poder", contou o senador Renato Casagrande (PSB-ES), um dos relatores do caso, após reunião com o presidente do colegiado e outros dois relatores Almeida Lima (PMDB-SE) e Marisa Serrano (PSDB-MS). Casagrande afirmou que todos os questionamentos serão respondidos e defendeu a decisão de Quintanilha de considerar prejudicado relatório de Cafeteira. O processo também esteve como relator o senador Wellington Salgado (PMDB-MG), que se afastou em menos de 24 horas do cargo. Depois, o presidente do colegiado, senador Sibá Machado (PT) pediu o afastamento. Ao ser eleito, Quintanilha enviou o processo novamente à Mesa Diretora e ao retornar ao colegiado nomeou uma comissão com três relatores para analisar o caso e aprofundar as investigações. Renato Casagrande disse que o Conselho de Ética está esperando questionamentos do PSOL à Polícia Federal. O partido, que entrou com representação contra o presidente do Senado no Conselho de Ética, tem até esta terça para entregá-los ao colegiado.Os relatores também preparam lista de documentos que deverão ser pedidos ainda nesta terça-feira a Renan Calheiros para complementar informações já fornecidas sobre movimentação financeira. O Conselho de Ética deverá enviar uma equipe de técnicos a Alagoas para solicitar às secretarias estaduais da Fazenda e da Agricultura documentos que permitam à Polícia Federal concluir a perícia na documentação apresentada pelo presidente da Casa sobre seus rendimentos agropecuários. Os consultores vão ainda buscar em Alagoas informações junto à empresas que teriam comprado gado de Renan.Renan é suspeito de receber dinheiro do lobista Cláudio Gontijo, da Mendes Junior, para pagar pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha extraconjugal. Renan também é investigado por supostamente ter apresentado notas frias para comprovar rendimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.