Relutância de Serra é "ética", diz secretário do PSDB

O secretário geral do PSDB, deputado Márcio Fortes (RJ), disse que a resistência do ministro da Saúde, José Serra, em assumir oficialmente sua pré-candidatura à sucessão presidencial é "uma preocupação de sentido ético". "Ele não quer parecer que está negligenciando seu trabalho à frente do Ministério da Saúde em função de interesses de outra natureza", disse o deputado, que integra o grupo de apoio à candidatura de José Serra dentro do PSDB. Na avaliação de Fortes, as conversas sobre a sucessão serão retomadas depois das festas de fim de ano. Os aliados de Serra avaliam, no entanto, que até o final de janeiro o ministro deverá assumir sua pré-candidatura, atendendo a pressões dos governadores e dos parlamentares. Serra, por sua vez, não esconde sua pretensão de concluir algumas ações iniciadas no âmbito do Ministério antes de deixar o cargo. Uma delas é a inauguração do Hospital Sarah Kubitschek, no Rio, prevista para o dia 23 de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.