Religiosos feitos reféns em Roraima estão soltos

Foram soltos os três religiosos que estavam reféns de manifestantes contrários à proposta do governo federal de homologar o território indígena Raposa Serra do Sol, no noroeste de Roraima. Os padres Romildo Pinto de França e Cezar Avellaneda e o missionário Juan Carlos Martinez tinham sido presos na terça-feira por fazendeiros e índios que discordam da homologação da reserva e foram libertados ontem.Na tarde desta quinta-feira, os religiosos conseguiram deixar a aldeia Surumu, onde estavam presos, num helicóptero do governo do Estado, que apóia o protesto dos fazendeiros. Só à noite, depois de passar por exames no Instituto Médico Legal de Boa Vista, eles foram liberados.As estradas de acesso à capital continuam bloqueadas pelos manifestantes, que fizeram, à noite, uma carreta pelas ruas da cidade. A sede da Fundação Nacional do Índio (Funai) continua ocupada por cerca de cem índios que apóiam os fazendeiros. Uma boa parte dos postos de combustíveis fechou as portas por falta de abastecimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.