Relatório sobre violação do painel sai em uma semana

O relator do Conselho de Ética do Senado, Roberto Saturnino (PSB-RJ), acredita que até a quinta-feira da próxima semana, dia 10, ele poderá apresentar o seu relatório sobre a denúncia de violação do painel eletrônico de votação. O senador disse que vai lembrar no relatório que um dos acusados, o senador Antônio Carlos Magalhães, já foi advertido pelo Conselho de Ética, depois da troca de ofensas com o senador Jáder Barbalho. Roberto Saturnino é favorável à acareação conjunta dos três acusados (os senadores ACM e José Roberto Arruda e da ex-diretora do Prodasen, Regina Borges). Mas o corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma, não concorda. Ele acha que os depoimentos devem ser de dois a dois e que, além das respostas, devem ser relatadas, também, as expressões dos acusados. ReuniãoSaturnino se reuniu por volta do meio-dia de hoje com o presidente do Conselho de Ética do Senado, Ramez Tebet (PMDB- MT), para discutir o rito da acareação marcada para amanhã, às 14h30. Desde o início desta manhã, Tebet vem se reunindo com senadores e assessores jurídicos para discutir a questão. Ele já pediu aos integrantes do conselho que encaminhem ao relator as dúvidas existentes sobre o caso para dar mais velocidade na acareação de amanhã. Os senadores, no entanto, explicou Tebet, terão o direito de fazer outras perguntas durante a acareação. Por escritoNo ofício encaminhado segunda-feira aos 16 integrantes do Conselho de Ética do Senado, o secretário-geral da Mesa, Raimundo Carrero Silva, justificou que foi devido à exiguidade do tempo que pediu que sejam feitas por escrito as principais indagações a serem apresentadas na acareação. No ofício, encaminhado a pedido do presidente do Conselho de Ética, senador Ramez Tebet (PMDB-MT), o secretário-geral ponderou, entretanto, que o encaminhamento de tais indagações não prejudica a apresentação de questões que os senadores considerem necessárias serem apresentadas aos depoentes no decorrer da sessão. Até o meio-dia desta quarta, nenhum senador havia apresentado suas indagações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.